Ondas de Choque na Estética

O programa de hoje é para conhecer mais essa novidade, que são as ondas de choque, que será brilhantemente apresentada pela nossa entrevistada que está aqui do meu lado, essa pessoa simpaticíssima que a é Renata Guidi. Tudo bem Renata?

R: Tudo bem e você Cris?

C: Tudo ótimo. Uma honra muito grande tê-la aqui no programa Estética na TV.

R: Também é uma honra estar aqui junto com você trocando um pouco de conhecimento, boa noite a todos que estão assistindo o programa.

C: Renata é uma honra muito grande, obrigado por ter aceitado e vindo até o programa Estética na TV.

R: A honra é minha.

C: Para falar sobre essa grande inovação no mundo da estética, que são as ondas de choque. Eu estou chocado, pelo que você falou o negócio é muito bom.

R: Os resultados clínicos têm sido fantásticos, tanto para pele, celulite, gordura localizada, tem-se visto bons resultados, é uma técnica que está vindo para ficar com excelentes resultados.

C: Inclusive estava conversando um tempo atrás que a grande onda era a crio lipólise e vem uma nova onda que é a onda de choque. E por falar em crio lipólise, tenho um vídeo muito legal do lançamento da Ibramed, que é o Polarys. Você conhece bem o Polarys?

R: Sim. Polarys é o nosso lançamento da Ibramed, é uma tecnologia diferenciada da crio lipólise que permite quatro modalidades de tratamento diferentes, tem alguns diferenciais, manutenção de temperatura, a temperatura real que você ajustou no equipamento é realmente o que você está entregando para o paciente, essa fidedignidade existe no equipamento e existe na empresa de uma forma em geral, é justamente para ser fiel e transparente com o cliente.

C: Então vou te convidar para ver o vídeo do Polarys e depois a gente volta para falar de ondas de choque. Vamos lá.

C: É isso ai Polarys nas clínicas de estética bombando, que é um preço acessível, um aparelho consolidado e muitos resultados. Agora o próximo é esse aqui, que são as ondas de choque. Agora me fala Renata, o que são as ondas de choque?

R: Na verdade trata-se de uma estimulação mecânica, que trabalha com ondas acústicas de alta intensidade, provocando o estímulo mecânico no tecido e esse estímulo é transferido para dentro do tecido, é um efeito direto das ondas de choque. Além disso, ela provoca efeitos fisiológicos dentro do tecido, um deles é efeito indireto que é cavitação. Assim como o ultrassom, nós conhecemos a cavitação do ultrassom, então ao mesmo tempo em que as ondas de choque têm certa similaridade com o ultrassom também tem algumas diferenças. As ondas de choque são, por exemplo, ondas que tem uma elevação brusca, rápida de pressão e uma queda também rápida dessa pressão, uma onda com pico de elevação mais alto, com uma intensidade maior. Já o ultrassom não, são ondas de amplitude menor com uma frequência maior, mas ambos tratam de uma estimulação mecânica, tanto o ultrassom como as ondas de choque, mas a diferença das ondas de choque é justamente isso, ela tem um impacto de alta tensão, pulso curto e provoca um efeito fisiológico bastante significativo, que assim como o ultrassom, é a cavitação, um fenômeno físico. Nada mais é do que a formação de microbolhas gasosas nos líquidos corporais e essa microbolha oscila de tamanho, aumenta e diminui de tamanho, provocando um aumento de metabolismo no local, um efeito fisiológico, por exemplo, em um tecido adiposo de lipólise, que é um decorrente do aumento de metabolismo. E no tratamento da gordura localizada esse efeito fisiológico é muito importante, porque a lipólise nada mais é, traduzindo o termo técnico, um esvaziamento do adipócito, pela alteração do metabolismo celular. Ocorre uma liberação de gordura de dentro da célula e assim diminui volume, uma contração volumétrica da célula e você tem a redução de medidas, que é o objetivo final do tratamento. Na celulite nós sabemos que você também visualiza no tecido certo aumento de volume, então esse efeito vale para a celulite, só que na celulite além do aumento de tecido gorduroso, você tem edema intercelular, você tem toxinas no interstício entre outras alterações teciduais. A terapia por ondas de choque também é interessante na celulite, porque além de promover o aumento do metabolismo celular induzindo essa lipólise, também favorece a eliminação de toxinas, ativa o sistema linfático facilitando a eliminação daquele edema, daquele líquido do interstício, além de melhorar a pele. Tem muitos estudos hoje com a terapia por ondas de choque que mostram a melhora da qualidade da pele, aumento da firmeza devido à formação do novo colágeno por ativação da célula fibroblástica, que é a célula produtora do colágeno. Todos esses efeitos fisiológicos culminam com a melhora do tecido, do aspecto da pele, de uma forma em geral.

C: Que maravilha. Eu queria mandar um abraço para Valter Tomaz, que está assistindo a gente e se você tiver pergunta, vai mandando a sua pergunta, que eu faço aqui para a Renata e ela vai responder para você. E daqui a pouco a gente vai mostrar um pouco o equipamento funcionando.

R: Sim, com certeza.

C: Combinado.

R: Com certeza. Para o pessoal conhecer um pouco da tecnologia.

C: Gordura localizada, melhora a qualidade da pele, o que mais?

R: Celulite.

C: Celulite. Qualquer grau pode ser tratada com ondas de choque na estética?

R: Qualquer grau de celulite, inclusive você consegue melhorar essa gravidade da celulite, reduzir na verdade o grau de celulite, existem algumas escalas validadas na literatura, você pode tratar o seu paciente e aplicar a escala e detectar uma melhora da celulite, além de todo o contexto, a drenagem que você acaba ativando no local, a eliminação das toxinas do interstício e a qualidade de pele, o estímulo mecânico ativa a célula que produz o colágeno, que é o fibroblasto. O fibroblasto é uma célula que recebe o estímulo mecânico e responde a ele. Quando você está trabalhando com as ondas de choque, você está constantemente ativando essa célula, produzindo novo colágeno, remodelando o colágeno já existente, com o movimento e com o próprio impacto mecânico você traciona essas fibras, melhora a regularidade da distribuição dessas fibras de colágeno no tecido. A pele fica mais lisa, você nota uma redução daquelas depressões de celulite, se você comparar o antes e o depois o resultado é bastante interessante.

C: Legal. Agora esse equipamento, de ondas de choque, tem origem de onde? Como descobriram que ele pode ser útil também na estética?

R: Na verdade esse tipo de tecnologia já existe há muitos anos na medicina, que é a famosa litotripsia. Quem já teve cálculo renal uma vez na vida já ouviu falar desse tipo de tecnologia, são equipamentos litotritores que promovem ondas de choque no cálculo renal, as famosas pedras no rim, essa onda promove a destruição dessa célula. Como já existe essa técnica há muitos anos, na década de 60, 70 iniciaram alguns estudos para verificar os possíveis efeitos fisiológicos das ondas de choque, principalmente na área da reabilitação. Foram tratados tanto no modelo experimental, animais, posteriormente com humanos também para avaliar tratamentos de tendinoses com calcificação pseudoartrose, depois disso aproximadamente na década de 80, 90 iniciaram as pesquisas mais a fundo com outros efeitos fisiológicos que as ondas de choque poderiam proporcionar. E recentemente, nós estamos no auge das ondas de choque na estética, mostrando já na literatura diversos resultados clínicos positivos com esse tipo de terapia na estética. Acredito que é uma terapia que veio para nos trazer excelentes resultados, eu particularmente gosto bastante.

C: Aproveitando a sua deixa. A Laurinda Sousa pergunta quantos estudos científicos existem que comprovam todas as aplicações de ondas de choque na estética, você tem ideia?

R: O que acontece, é uma técnica nova, como eu comentei,  a onda de choque é recente na estética, então tem estudos? Tem, mas são escassos.

C: Isso para a estética?

R: Para a estética. Se você comparar os estudos que temos hoje da terapia de ondas de choque na reabilitação para tendinoses, pontos gatilhos, pseudoartrose há uma gama muito ampla de estudos para estes fins, que sustentam as indicações de uso na reabilitação. Para a estética, como é uma área nova, os estudos são mais escassos, mas o pouco que tem já nos mostra resultados positivos e que tem evidência sim para que nos dar suporte na prática clínica.

C: A Eloisa Mota: é verdade que é super indicado pós criolipólise?

R: Exatamente. A criolipólise é um dos recursos que os profissionais mais indicam só que é necessário respeitar o período pós crio. Eu e muitos profissionais indicamos iniciar com as ondas de choque de 15 a 21 dias pós-sessão de crio lipólise, porque na crio lipólise você proporciona no tecido uma paniculite, um processo inflamatório muito intenso, então você precisa dar tempo nesse tecido para dar estímulo e nós sabemos dos riscos, das complicações pós-crio lipólise também na hiperplasia paradoxal, que seria um rebote, excesso de estímulo, um excesso inflamatório exacerbado, que pode culminar da hiperplasia do tecido ao invés da redução do volume de adiposos.

C: Aumentar?

R: Aumentar. Para você evitar essas complicações e respeitar a própria resposta individual do paciente ao estímulo, indica-se de 15 a 21 dias pós-crio lipólise para você iniciar com a terapia por ondas de choque e você pode realizar o tratamento com a terapia por ondas de choque até duas vezes na semana, muito interessante também, é um recurso que…

C: Até duas vezes, tem assim espaçamento entre uma sessão e outra? Ou pode ser dias seguidos?

R: No mínimo um dia de intervalo entre as sessões é indicado.

C: Podem ser segundas e quartas, quartas e sextas, segundas e quintas.

R: Pode.

C: Duas vezes por semana e respeitando um dia de intervalo.

R: Exatamente.

C: Que maravilha e aproveitando a pergunta, indo mais a fundo, a Tatiana S. Moura está perguntando: quais outros procedimentos podem ser associados às ondas de choque?

R: Tem ampla diversidade, você pode combinar com recursos eletro-térmico-foto-terapêuticos ou recursos manuais. Na mesma sessão de terapia por ondas de choque, você pode trabalhar com rádiofrequência, você pode trabalhar com carboxterapia, ultrassom focalizado é muito interessante também, você pode aplicar primeiro e depois a terapia por ondas de choque; drenagem linfática manual, terapia vibro oscilatória, a própria massagem aura, que tem se comentado muito que é uma inovação da Ibramed, entre outras terapias. A endermoterapia que é muito conhecida e muito usada há tempos na estética, também pode ser combinada com a terapia por ondas de choque.

C: Muito bom. Agora estou vendo aqui, vamos mostrar que tem várias ponteiras, inclusive o aplicador é muito bonito, muito bacana. Posso mexer?

R: Claro.

C: Aqui é só rotacionar. Tem diferença entre essas ponteiras?

R: Sim. Até aproveitando a sua pergunta para explicar para o pessoal os diferentes tipos de ondas de choque, eu acho que é interessante a gente complementar. Existem no mercado hoje três tipos de equipamentos de ondas de choque. O equipamento que apresenta o gerador hidráulico através da pressão da água mobiliza um projetil que está dentro do aplicador e provoca o impacto mecânico com as ondas de choque, um gerador hidráulico. Eu conheço apenas um equipamento internacional no mercado externo que trabalha com gerador hidráulico. Tem também o tipo de equipamento que apresenta o gerador pneumático onde dentro do gabinete, do equipamento você encontra um compressor de ar e esse compressor gera um ar comprimido e a pressão desse ar desloca o projetil dentro do aplicador gerando as ondas de choque, o impacto mecânico. E o equipamento eletromagnético, que é exatamente esse que está aqui, ele trabalha com a geração de um campo magnético dentro do aplicador, dentro do aplicador tem duas bobinas, o equipamento gera um campo elétrico o qual provoca um campo magnético entre as bobinas, esse campo magnético desloca o projetil dentro do aplicador e esse projetil, que é como uma bala de revolver, bate nas extremidades internas do aplicador. Quando ele bate nessa parte da ponteira ele transfere esse impacto mecânico para dentro do tecido e geram-se os efeitos fisiológicos. Então são diferentes tipos de geradores, de equipamentos, mas diferem também as ponteiras, como você me perguntou. No caso desse aplicador, que é um aplicador radial, onde a energia diverge para dentro do tecido, existem as ponteiras de diferentes tamanhos e diferentes materiais, que difere na aplicação.

C: Legal. Antes de irmos para as ponteiras, vamos voltar para os tipos. Vamos resumir o pneumático, eletromagnético e o hidráulico.

R: O hidráulico é o mais raro. Os mais encontrados no mercado hoje são o pneumático e o eletromagnético. O pneumático geralmente são equipamentos mais robustos, maiores, porque eles contemplam um compressor de ar dentro, então precisa de uma magnitude maior, são equipamentos mais caros, de difícil deslocamento. Já o eletromagnético não precisa de um compressor de ar, então é um equipamento mais portátil, com custo mais acessível.

C: A Ibramed tem sempre aparelhos mais portáteis, que todo profissional pode levar se quiser. E também o custo que é um custo menor.

R: Do que o pneumático.

C: Muito legal. Agora vamos voltar para as ponteiras. Aqui é o radial, tem quantos tipos de aplicadores?

R: Geralmente a configuração pneumática traz três tipos de configurações. O pneumático que utiliza a pressão do ar para deslocamento do projetil traz a configuração radial, que seria similar a este; traz a configuração planar. A radial é interessante porque a energia bate na pele e diverge para dentro do tecido; já a configuração planar a energia é paralela dentro do tecido e apresenta também um aplicador focalizado, converge dentro do tecido como se fosse um ultrassom focalizado. São três configurações de aplicadores diferentes, que trabalham de forma diferente no tecido. E na estética o mais utilizado hoje é o radial. O focado tem uma configuração de convergir a energia e torna-se mais profundo, atingindo parte óssea, músculo, que na estética não é nosso objetivo principal. O radial se limita a tecidos mais superficiais, então é o mais utilizado na estética, sem dúvida. O eletromagnético traz a configuração radial, que é exatamente essa que a gente tem aqui hoje.

C: Legal. Deixa-me mandar beijo para o meu público, aproveitar, a Juliane Siqueira está assistindo; Laurinda Souza de Salvador; a Cris Tavares; Elaine Teixeira Liseu; Sara de Jesus; Elisangela Gutiama. Vamos fazer um pouco as perguntas do público agora, o Estúdio Marciel Abreu está perguntando se pode usar no couro cabeludo para calvície?

R: Até hoje não tem nada que mostre o uso nessa região, inclusive entra como uma contraindicação o uso nessa área, até então a gente não pode confirmar que pode ser utilizado.

C: A Neiliane Duarte está adorando e a Laurinda Sousa está perguntando se existe limite de áreas que pode trabalhar por sessão?

R: Não apresenta limite de áreas, você pode trabalhar mais de uma área. Tudo depende da disponibilidade do seu cliente, de vir para a clinica e ficar ali por um determinado tempo para você conseguir tratar todas as regiões, embora a terapia por ondas de choque é um tratamento bastante rápido, a grande vantagem desse tipo de terapia além dos bons resultados é também o fato de ser um tratamento que demanda pouco tempo do paciente na clínica.

C: Quanto tempo?

R: Depende da quantidade de áreas. Na verdade o que acontece, se você avalia a área, mas o equipamento trabalha com um número de disparos por área. Geralmente na área da estética a gente está falando de uma área grande e a aplicação é dinâmica, então você movimenta o aplicador de distal para proximal e depois também na horizontal e ziguezague para trabalhar tanto nas fibras das linhas de Langer como contra as linhas de Langer, nos dois sentidos. E esse movimento demanda um número de disparos e na máquina você ajusta o número de disparos por área. Em média na estética, do que tem se visto na aplicação e também na literatura, é em média de 1.500 a 2.000 pulsos por área, mas um grande diferencial do equipamento é também permitir que você trabalhe com modo livre de contagem dos disparos, então você ajusta no equipamento no modo livre e você executa a quantidade de disparos na área dependendo da região, você fica livre para trabalhar a área de tratamento, conforme a necessidade do cliente. É um tratamento rápido, mas a gente não consegue estimar o tempo por área, que depende muito do tamanho da área, do número de áreas que o paciente vai executar na sessão.

C: Mas você tem uma média de tempo?

R: Costuma ser bastante rápido e é claro que depende muito da frequência, então se eu ajustei no meu equipamento 10 Hz e 2.000 disparos eu vou levar menos tempo se eu ajustar 5 Hz em 2.000 disparos. Depende da frequência que você ajusta no equipamento. Então o número de disparos acaba sendo mais rápido ou mais lento, mas é relativamente por área, uns 10 minutos ou até menos, costuma ser uns 5 minutos depende se você contar uma posterior e um glúteo, trabalhando lentamente no local, 5 minutos cada membro, eu acredito que esteja dentro do tempo.

C: Olha que pergunta interessante da Tatiana S. Moura. Ela é biomédica esteta e ela está perguntando se pode associar a lipoenzimática?

R: Na verdade a lipoenzimática é um tipo de mesoterapia, eu acredito que você utiliza uma enzima como, por exemplo, muitos médicos trabalham com hialuronidase, que é um tipo de enzima utilizada na mesoterapia. Você pode associar na mesma sessão de terapia por ondas de choque, embora se indica a terapia antes da mesoterapia. Então primeiro você executa as ondas de choque e na sequência a mesoterapia.

C: Legal. Agora a Carol quer saber o nome do aparelho e o valor. O valor a gente não fala, pelo menos no meu programa não. Liga na ShopFisio que você vai saber o valor, não agora, porque esse é um lançamento que vai sair muito em breve, é isso?

R: Isso. O equipamento é o Torc e esse equipamento que está aqui conosco hoje é protótipo e em breve ele estará no mercado, mas no momento a gente ainda não está efetuando as vendas.

C: E quando voltar do intervalo, nós vamos experimentar.

R: Com certeza.

C: Vamos mostrar como que funciona, porque o pessoal está perguntando. Qual é a sensação que a cliente recebe? Então eu vou experimentar.

R: E o Cris vai falar essa sensação?

C: Não senti ainda, vou fazer agora.

R: Acredito que para você será bem confortável, tudo depende da área, do sensorial do paciente, da energia que você ajusta no equipamento, tudo isso você pode dosar.

C: Tudo isso você vai mostrar?

R: Sim, com certeza.

C: Na volta mostraremos tudo sobre o equipamento, como que funciona, como que programa. E lógico a informação mais completa tem nos treinamentos da Ibramed, que inclusive está em Imperatriz, o próximo? O meeting?

R: O próximo simpósio? Isso, Imperatriz.

C: Agora no meeting da Ibramed, inclusive eu sei que você é uma das palestrantes, qual será o seu tema?

R: Ondas de choque.

C: Ondas de choque? Olha só que coincidência.

R: Afinal, o evento está fantástico, palestrantes..

C: Quem mais vai?

R: Nós estamos com uma gama ampla de palestrantes de renome na área da estética, temos Vilma Natividade, Fábio Borges entre outros. Quem tiver interesse pode acessar o site do meeting da Ibramed (www.meeting.ibramed.com.br) e conhecer.

C: Serão dois dias de muito conhecimento só com feras do mercado estético, inclusive Renata Guidi que vai dar palestra sobre ondas de choque. Agora quando é o simpósio, que é em Imperatriz no Maranhão, vocês falam também sobre ondas de choque?

R: No simpósio são abordados vários temas em relação a recursos eletro-terapêuticos, então crio lipólise, ondas de choque são recursos que estão em alta e com certeza serão abordados no simpósio. Então vale a pena também participar, é muito conhecimento, são dois dias com temas diferenciados, muita atualização, resultado de pesquisas clínicas, literatura embasando tudo que é falado. Vale a pena participar dos simpósios Ibramed.

C: Eu tenho certeza disso, porque só tem professora top. Renata, Flávia, Aline, outra Renata é um time de feras. Parabéns. E agora vamos respirar um pouco, vamos para o intervalo e na volta a gente vem mostrando o aparelho e tirando mais dúvidas, vai mandando as suas dúvidas.

C: De volta com o programa Estética na TV para vermos esse aparelho, já está ligado, já está funcionando e a gente vai mostrar daqui a pouco antes eu queria dar um recado, porque nesse final de semana aconteceu mais um curso de Método Selado aqui em São Paulo e eu fui lá prestigiar, inclusive fizemos uma alive, vamos passar um pedacinho da alive que a gente fez para o pessoal ver, Método Selado está bombando no Brasil todo e já teve em São Luís, Curitiba, duas datas em São Paulo e em breve novas regiões chegando o Método Selado, mas se você não tem na sua região, tem que pegar um avião e viajar. Vamos ver um pedacinho do vídeo.

Viu só? Gente de todo o Brasil fazendo o método selado e inclusive amanhã eu estarei lá para fazer. Porque todo método que eu lanço aqui no Estética na TV eu vou lá, todos não, mas quase todos eu vou lá e faço, eu emagreci 7 quilos no ano passado com o método 5S e agora é a vez de fazer o método selado, eu vou fazer e vou mostrar tudo para vocês.

Vamos voltar aqui e estávamos falando das ponteiras, vamos falar um pouco delas antes de mostra-las funcionando.

R: Como comentamos, existem vários tipos de ponteiras, aqui estamos falando de um aparelho eletromagnético radial, esse é um aplicador radial, e existem ponteiras que você pode trocar para utilizar na terapia de acordo, é claro, com a área de tratamento, se é uma área menor ou maior, se é uma região mais localizada ou também o sensorial do paciente, profundidade de estímulo. Nós temos aqui as ponteiras de 6 mm de diâmetro, percebam que a área de contato é bem pequena, então são dois materiais distintos, que pode ser utilizada, por exemplo, como pontos de acupuntura na estética, na reabilitação também, pontos gatilhos, inserções tendíneas,  além da estética também tem essa indicação para reabilitação.

C: O modelo é o mesmo?

R: O modelo é o mesmo, você percebe…

C: A diferença é o material.

R: Isso, aqui a gente tem o material de plástico, tipo um PAD e aqui o aço inox.

C: E qual a diferença dos dois?

R: O que difere é a profundidade do impacto, então o aço inox atinge uma profundidade maior do que a de plástico; a de plástico costuma ser mais superficial, tecidos mais superficiais, e difere o sensorial do paciente também. O paciente geralmente sente o impacto mais forte no de plástico por conta justamente da profundidade menor, na superfície da pele onde nós temos as terminações livres de dor, o impacto sendo mais superficial, o sensorial é maior. E aqui (ponteira com aço inox) nós temos o impacto mais profundo e um sensorial menos sentido é menor a sensação do paciente.

C: E esse aqui, é a mesma coisa, é igual (ponteira de plástico)? Estes dois que estou mostrando são iguais?

R: Exatamente, os dois tamanhos são similares 25 mm de diâmetro, porém o material é distinto também, então aqui temos o plástico e o aço inox. Aqui é a de 15 mm.

C: E esse não tem o de plástico?

R: Ele tem também, ele não está aqui, mas tem.

C: Todos tem um de plástico e de aço inox?

R: Sim, existe também outra ponteira um pouco maior, que não está aqui inclusive, seria uma de 35 mm, que é para áreas maiores.

C: São quantas ponteiras no total?

R: São quatro tamanhos.

C: Quatro tamanhos?

R: Isso.

C: E esse plástico serve para quê?

R: É um revestimento, é um silicone que você pode aplicar com ele.

C: Pode aplicar com ele também?

R: Isso é um revestimento.

C: Para sentir menos dor?

R: Minimiza o desconforto em áreas mais sensíveis ou você percebe que aquela paciente especificamente é mais sensível, a região a ser tratada é uma área mais delicada, você pode utilizar o revestimento para minimizar. Até é interessante também, porque o pessoal tem utilizado muito para facial este tipo de tratamento. A gente falou das indicações no corporal, mas também é uma terapia que tem sido utilizada no tratamento facial.

C: No facial também?

R: No facial, para melhora de qualidade de pele, firmeza de pele, remodelagem do colágeno.

C: Pensei que só fosse corporal, é facial também?

R: Facial também. Só que no facial você precisa se atentar com determinada região, você vai aplicar do arco zigomático para baixo e a região de papada ou subteniana, a região submandibular, essas áreas. A região frontal não se aplica, muito menos na região do olho.

C: Muito menos na região ocular. Muito legal, vamos fazer funcionar?

R: Sim.

C: Mas antes vai responder uma pergunta, que eu achei interessante. A Marta Torres que está no Facebook do Estética na TV (facebook.com/esteticanatv) está perguntando: Eu gostaria de saber qual a diferença entre ondas de choque e ondas curtas, aparelho de diatermia. Tem diferença?

R: Sim, são tecnologias distintas. A diatermia das ondas curtas teria uma similaridade com a radiofrequência, quem conhece a radiofrequência de alta frequência, como, por exemplo, equipamento Hooke da Ibramed é uma similaridade com a diatermia por ondas curtas gera um campo eletromagnético, um aquecimento tecidual de forma significativa. Já as ondas de choque não trabalham, embora a geração seja um campo magnético que desloca o projetil e gera um impacto mecânico, mas não emite radiofrequência, não emite esse campo eletromagnético para fora do aplicador, então não é similar à diatermia por ondas curtas.

C: E a Daiana Azevedo falou que o programa de hoje está maravilhoso, eu também acho, obrigado Daiana.

R: Obrigada a todos que estão participando do programa.

C: Pelo carinho, fico muito emocionado pelo carinho desse público. Aonde é, no braço, pode ser?

R: Sim. Então aqui nós vamos mostrar para o público como foi feita a programação. O equipamento você ajusta a energia, que vai ser utilizada, ajusta a frequência, no caso em Hz, com que frequência os disparos serão emitidos, a quantidade de disparos, no exemplo aqui, deixamos no livre para trabalhar com uma liberdade no tratamento. E aqui nós temos um tutorial informativo e a tecla de início da terapia. Então clicando aqui dá a energia a ser utilizada, que no caso dos equipamentos eletromagnéticos, essa energia é dada em milijoules, que é a unidade de medida. Aqui por tratar-se de um protótipo, a energia está em porcentagem, mas o produto estará em milijoules. E no pneumático, até fazendo um comparativo pro pessoal que muitas vezes conhecem o pneumático, a energia é dada em bars, a unidade de pressão. Geralmente os equipamentos trabalham até 4 ou 5 bars.

C: Até porque no posto de gasolina aonde vai encher o pneu é em bars?

R: Eu acredito que sim. Eu não me recordo.

Aqui nós temos a energia, o número de disparos por tratar-se de um modo livre, esse disparo é crescente, então conforme a gente vai trabalhando, vocês vão visualizar o incremento no número de disparos. E aqui é uma tecla de acionamento. Interessante também que pode ser utilizado um pedal para acionar.

C: Pode ser na mão e pode ser no pedal, igual no carbox.

R: Exatamente, conhece bem os equipamentos!

C: Lógico, faço tratamentos estéticos, carboxterapia é o que eu mais gosto, em mim é o que dá mais resultado.

R: Olha que bom é multiuso.

C: A crio lipólise também.

R: A carboxterapia é interessante porque você utilizar para várias indicações, corporal, facial, pele, gordura, celulite.

C: Foi tema do nosso último programa, muito show. Vamos lá que eu estou ansioso. Você está me deixando ansioso, eu quero experimentar isso. Até meu público está ansioso querendo ver como funciona. Eu acho que é igual o ultrassom, a pessoa passa e você não sente nada.

R: Na verdade, você vai sentir, vai sentir um impacto mecânico bastante confortável, não tem nenhum desconforto ai, só que a gente precisa utilizar um meio de condução, por tratar-se de uma onda mecânica, similar ao ultrassom quando trabalhamos com o ultrassom nós utilizamos o gel condutor. Então aplica-se o gel, nós estamos sem a espátula para facilitar, aqui está com revestimento, pode ser removido também o revestimento da ponteira, e também pode ser utilizando tanto a ponteira de aço inox como a ponteira de PAD. Vou fazer a troca para o pessoal conhecer, é só rosquear, rotacionar no local. Agora a gente direciona perpendicular à pele e movimento lentamente em ziguezague, e também no outro sentido você aplica.

C: Para a cliente que adora sentir o negócio funcionando a ondas de choque na estética é maravilhoso. E não dói. É tranquilo.

R: É bastante tranquilo.

C: Mas tem hiperemia aqui

R: Sim, inclusive é uma reação transitória que pode ocorrer dependendo da área de tratamento. Então a hiperemia pode acontecer, dependendo da coloração de pele, da região ser uma área mais sensível ou não.

C: Vamos aplicar mais.

R: O que você sentiu? O que você achou? Confortável?

C: Bacana o negócio. É uma sensação gostosa, vontade de ficar mais. Eu adorei isso aqui.

R: É o mesmo feedback das clientes, o pessoal tem gostado muito e o aspecto da pele muda logo após a aplicação, o efeito é imediato, então se você aplica em um glúteo, posterior de coxa com celulite, logo após você já vê uma melhora da pele, uma pele mais lisa, uma resposta da pele imediata, é muito bacana, vale a pena, quem ainda não sentiu ou quem ainda não trabalhou com um equipamento desses, vale a pena sim conhecer e usar.

C: Muito show, adorei. Eu quero um desse para mim, para eu fazer e ficar com a pele melhor. Agora tem contraindicação?

R: Sim, assim como qualquer outro recurso tem sim as contraindicações.

C: E quais são elas?

R: Você não vai aplicar em uma paciente gestante ou sobre o útero potencialmente gravítico, nessa região você não vai aplicar; sobre áreas neoplásicas, se tem algum tumor ou um tumor recente, uma história prévia também não vai aplicar; pacientes que tenham marcapasso que é um dispositivo eletrônico implantado também é uma contraindicação; pacientes que tenham uma trombose venosa profunda, distúrbios hemorrágicos ou que façam uso de anticoagulante também não é prudente a aplicação, porque você está trabalhando com impacto mecânico, você pode provocar algum tipo de problema nesse paciente, entre outras contraindicações; sobre uma úlcera, uma ferida, uma solução de continuidade também não se aplica, antes da aplicação visualizar se essa pele está integra limpar, higienizar essa pele corretamente, utiliza-se a clorexidina alcóolica para limpar a pele, aplica o gel e inicia a aplicação para você não ter nenhum problema com a pele.

C: Muito dez. A gente viu que faz um barulho e o Jorge Mancho está perguntando se é preciso utilizar um protetor auricular?

R: Olha não tem a necessidade.

C: Para mim foi bem tranquilo.

R: A gente que trabalha sempre com o recurso também não vê necessidade, se alguém especificamente tiver a necessidade de usar, algum desconforto pelo ruído que o equipamento gera, não vejo problema em utilizar também, mas não é algo que tenha necessidade.

C: Estão perguntando o nome do aparelho e fabricante.

R: O equipamento é o Thork e o fabricante é a Ibramed.

C: O preço do aparelho a gente não fala. A Dulcineia Uzel está perguntando se serve para flacidez tissular?

R: Sim, na flacidez de pele que a gente fala. O pessoal costuma falar tissular e é até uma forma errônea de tratar a flacidez de pele, quando a gente fala tissular, tissular vem de tecido, então a flacidez muscular é também tissular. Para flacidez de pele esse equipamento tem um resultado muito positivo por conta da melhora na ativação do fibroblasto, ação mecânica estimula essa célula produzindo novo colágeno, elastina, melhora também a remodelagem do colágeno já existente, é bacana o resultado.

C: Eu sei até a resposta, mas eu vou fazer a pergunta. E para quem usa pino, pode usar as ondas de choque?

R: Olha uma das contraindicações, aliás, é aplicação sobre implante metálico,  você não aplicar sobre o pino, que é a osteossíntese que o cliente tenha no tecido osteomuscular. A contraindicação é sobre essa osteossíntese, então não se aplica mesmo. Agora se for uma área próxima que não seja diretamente sobre, não teria problema.

C: Muito bom, até porque não dá para bater isso no pino.

R: É lesão interna, você acaba machucando o tecido.

C: Tudo que não é bom, a gente tem que evitar. Mas tudo que é bom, eu adorei, você não quer fazer mais um pouquinho em mim?

R: Vamos fazer sim.

C: Vamos mudar a ponteira? Queria sentir essa aqui. Qual dói mais?

R: A indicação para essa ai é para pontos gatilhos, acupuntura também, como eu falei.

C: Fátima da Silva Gomes, para você, pontos gatilhos, acupuntura. Você que é apaixonada por acupuntura na estética, está fazendo seus testes e estudos científicos, pode testar esse aqui.

R: Vamos testar esse.

C: Vamos testar o de plástico, eu vou colocar o gel aqui.

R: Na mesma área que a gente trabalhou. Deixa-me só ajustar aqui.

C: Agora eu quero sentir.

R: Vou colocar um pouco menos de energia, por tratar-se de uma área menor, então tem uma concentração de energia maior na área, porque a área da ponteira é menor, vamos trabalhar com uma energia menor aqui no equipamento do que a gente trabalhou com a ponteira de área maior. Não é prudente eu utilizar a mesma quantidade de energia se a área de contato é pequena, então o desconforto pode ser grande, então a gente precisa ajustar isso.

C: E quem compra equipamento lançado, ganha o treinamento?

R: Tá tranquilo? Caso o sensorial do cliente esteja tranquilo, você pausa a terapia e aumenta a intensidade. Um ponto gatilho é muito interessante o uso dessa tecnologia, por exemplo, porque você solta aquela tensão, relaxa a musculatura, e você pode utilizar a ponteira mais concentrada no ponto e em seguida entrar com uma de área maior para trabalhar em toda área muscular.

C: Causa hiperemia instantânea. As veias também estão aparecendo.

R: Porque aumenta a circulação. Um dos efeitos fisiológicos inclusive é esse, além de estimular o sistema linfático, também aumenta a circulação sanguínea, na celulite é muito interessante, porque você tem um déficit circulatório significativo.

C: E dá para ir em cima da celulite, não dá?

R: Sim, além de você pode trabalhar, por exemplo, em uma posterior de coxa ou em glúteo, a técnica dinâmica similar com aquela que aplicamos no braço do Cris, você também pode aplicar a técnica estática sobre o nódulo celulítico. Uma depressão significativa você pode estar aplicando estático sim.

C: Mais uma pergunta, o gel é só condutor?

R: É só um condutor.

C: Não pode usar sem o gel?

R: Na verdade o gel, assim como no ultrassom, facilita a condução da onda mecânica para dentro do tecido, você pode usar sem o gel? Você consegue sentir sem o gel? Consegue, mas a transferência não é tão otimizada quanto com o gel. E também na técnica dinâmica, no caso da estética, serve como um deslizante, facilita o deslizamento da ponteira.

C: Legal, facilita o trabalho do profissional.

R: Sim, minimiza desconforto do paciente.

C: Que maravilha. É diferente de tudo que eu já vi na estética, não tem nada igual ou parecido com ondas de choque?

R: O sensorial, o tipo de estímulo é diferente. Como eu comentei, tem algumas similaridades com ultrassom, mas ao mesmo tempo é bastante diferente.

C: Legal. Tem alguma informação que ficou sem ser falada no programa ou a gente falou de tudo?

R: Eu acredito que a gente conversou de tudo, falamos um pouco do que é a terapia, tipo de onda, a diferença dos equipamentos pneumático, eletromagnético, isso eu acho que é um ponto muito importante para o profissional que quer adquirir o equipamento de ondas de choque, porque hoje em dia você vai às feiras de estética, cada fabricante fala uma coisa, então o profissional hoje tem que ter uma base para ajudar na escolha no momento da compra, qual é o equipamento que eu vou comprar, qual equipamento que tem um embasamento científico, qual acaba compensando mais, para que você vai ter um equipamento pneumático com custo elevado, com risco de assistência maior, se você tem condições de ter um equipamento eletromagnético, que é um porte menor, mais barato, menos manutenção e a facilidade de transporte. Muitas pessoas trabalham no atendimento homecare também, vai à casa do paciente, leva o dispositivo, então facilita também nesse sentido.

C: Quem quiser aprender mais a Renata vai palestrar no meeting Ibramed, não só ela como mais de 20 palestrantes, não é isso?

R: Sim.

C: Mais de 20, ainda tem vaga né?

R: Sim, ainda tem vaga, não percam as inscrições.

C: Está praticamente esgotada? Tem que ligar lá? www.meeting.ibramed.com.br entra em contato, porque vai ser show, grandes nomes da estética, inclusive fiquei sabendo que a Débora Secco estará lá.

R: Sim. Vai ser um show.

C: A Débora Secco estará lá.

R: Ela vai fazer um talk show para o pessoal, vai falar um pouco da estética.

C: Acho que vou entrevistar a Débora Secco.

R: Ótimo. Será fantástico. Dias 28 e 29 de Outubro.

C: Eu estarei lá.

R: Com certeza.

Terapia de ondas de choque na estética

C: Cobertura do programa Estética na TV. Estaremos lá juntos.

Renata, agradeço mais uma vez a sua vinda, obrigado pela sua presença e por vir me apresentar mais este lançamento, nós lançamos aqui no programa a crio lipólise de contraste foi o primeiro programa do ano e agora… E eu quero que vocês venham, não sei se você, não sei se a Aline, se a Renata, não sei se a Flávia, mas a massagem aura é um negócio incrível, nós fizemos aquela alive na feira.

R: Ela é fantástica, o pessoal está adorando e os resultados também fantásticos. Depois que você recebe a massagem aura, você se apaixona. Então quem não conhece, vale a pena, conhecer, sentir a massagem, sentir o estímulo, visualizar o resultado, porque é fantástico. É uma tecnologia que com certeza tem que ter no programa Estética na TV.

C: Isso, então o próximo será que vai ser massagem aura?

R: Sim, podemos tentar.

C: Então é isso ai. Muito obrigado mais uma vez, despeça-se do nosso público, adorou a sua entrevista hoje.

R: Eu gostaria de agradecer também o convite por estar aqui com você dividindo um pouco de conhecimento com o público e gostaria de agradecer a todos pela atenção, pela disponibilidade de estar assistindo conosco aqui e pelo carinho.

C: Inclusive mandaram um monte de beijo para você, disseram que você é uma professora maravilhosa, uma professora incrível e você dá aula no CEFAI.

R: Aliás eu queria falar um pouco para o pessoal do CEFAI, e quem não conhece é o Centro de Estudos de Formação Avançada da Ibramed, é uma escola que oferta cursos de pós-graduação e cursos de extensão e os cursos de pós-graduação tem foco em MBA, em gestão de clínicas, consultórios além de toda parte de recursos eletro físicos, recursos manuais. É um curso muito prático, diferente de outras escolas que tem muita teoria e pouca prática, o objetivo do CEFAI é justamente o contrário, ofertar a prática ao profissional para ele se especializar com qualidade além de todo embasamento cientifico, então quem tiver interesse em conhecer um pouco mais do CEFAI, acessa o conexão CEFAI, onde nós teremos todas as informações.

C: E o legal do CEFAI é que só tem professor TOP. Então mais uma vez agradeço você pela vinda, parabéns por todo o seu sucesso dentro da Ibramed e palestrando no Brasil todo e eu termino o programa mandando beijo para Leda de João Pessoa.

E semana que vem tem mais programa Estética na TV, fiquem ligados.

Saiba mais sobre terapias de onda de choque na estética thork Ibramed

 

Acesse nosso site : www.esteticanatv.com.br

Mídias Sociais do Programa Estética na TV
Facebook: https://www.facebook.com/programaesteticanatv
Instagram: @esteticanatv
Youtube: https://www.youtube.com/user/esteticanatv?sub_confirmation=1

Apresentação:
Cristiano dos Santos www.cristianodossantos.com.br
Facebook: https://www.facebook.com/CristianoDosSantosEstetica/
Instagram @cristianodossantosestetica
Dicas para profissionais de Estética: https://www.youtube.com/user/cristianoestetica

Pin It on Pinterest

Share This